Dica 1

Você percebe que seus alunos estão desanimados e sem vontade de aprender no ensino remotodo?

Deepali Dharmaraj explora as razões e apresenta estratégias que podem ser usadas para manter o engajamento nas aulas com crianças e jovens.

Clique nos "+" para expandir e ver as dicas por completo.

Ensinar a distância sem perder motivação dos alunos:

Razões comuns para motivação baixa dos alunos

  • Em uma aula presencial, o professor pode responder rapidamente para garantir que os alunos estejam no caminho certo e recebendo a ajuda de que precisam. No ensino remoto, esse tipo de processo de "virtual monitoring" é difícil e pode demorar para acontecer.
  • Assim como os professores precisam de tempo para aprender uma nova forma de ensinar, os alunos precisam aprender uma nova maneira de aprender. Além das habilidades técnicas que os alunos podem precisar desenvolver, a interação entre os colegas também pode ser difícil.
  • Problemas técnicos relacionados à participação em uma aula on-line ou ao envio de tarefas eletronicamente podem causar frustração.
  • Para os alunos mais jovens, pode haver falta de apoio em casa, pois os pais podem não ter tempo disponível ou ter boas habilidades digitais para o uso de computadores e de tecnologia, no geral. Assim,  os alunos precisam gerenciar seu próprio trabalho e encontrar soluções por conta própria, o que pode ser demorado e desmotivador.
  • Se seus alunos estão sendo forçados a aprender remotamente por motivos fora de seu controle (por exemplo, em picos ou crises de Covid-19 ou por causa de uma doença), isso poderá causar níveis elevados de estresse, o que pode fazer com que os alunos se sintam menos interessados ​​em aprender.
  • Se você nunca deu aulas no ensino remoto anteriormente, você também está aprendendo e seus alunos podem não ter essa informação. Por esse motivo, as aulas do ensino remoto podem não ser tão estruturadas e organizadas como os alunos esperam, o que pode causar desmotivação.

Ideias para ajudar a aumentar a motivação dos alunos

  • Pergunte a seus alunos o que eles acham que os ajudaria a se sentir mais motivados: Existem muitas maneiras de fazer isso, dependendo da idade e do nível de escolaridade de seus estudantes. Você pode, por exemplo, pedir que eles te tragam ideias sobre como realizar uma atividade, fazer uma votação para que eles escolham a aula que mais gostaram de acompanhar ou deixar que eles sugiram novos jeitos de de ensinar as lições subsequentes.
  • Varie os tipos de aula e tente ter três ou quatro estruturas diferentes: Por exemplo, para um tópico de aula, você pode usar uma abordagem reversa, onde os alunos são solicitados a ler um texto com antecedência. Em seguida e reunidos em aula, junto com a classe o professor checa a compreensão e linguagem utilizados no material de leitura. Para outra aula, peça aos alunos que trabalhem em pequenos grupos para desenvolver o tema que deverá ser abordado. Para alunos mais velhos ou mais avançados, tente atribuir pedaços de conteúdo para que eles apresentem uns aos outros.
  • Divida seus temas de aula em pequenos subtópicos: Assim, se você tiver alguma dificuldade técnica para apresentar, vai conseguir com mais facilidade determinar onde parou seu conteúdo e concluir ele mais tarde, em aulas subsequentes - ou definir que os tópicos restantes sejam estudados como lição de casa pelos alunos.
  • Mantenha o seu senso de humor: você não fará tudo certo, e tudo bem. Sorria e siga em frente.
  • Atribua funções e responsabilidades: Dependendo da idade e do nível de seus alunos, você pode atribuir tarefas para seus estudantes, escolhendo alguém para liderar um grupo de projetos, outro para manter registros e fazer a chamada e um aluno para ser o "Mestre do Mudo", sendo o responsável de garantir que os microfones fiquem fechados durante as apresentações e falas.
  • Leve em consideração os comentários que os alunos fizeram: Tente personalizar o aprendizado o máximo possível. 
  • Tenha várias maneiras de se conectar com seus alunos: Não dependa apenas das aulas on-line ao vivo (síncronas). Encontre novos jeitos de se conectar com seus alunos de forma assíncrona, por exemplo, por meio de outros canais como WhatsApp e e-mail.

Como solucionar problemas e se preparar para aulas on-line

  • Segurança em primeiro lugar: ao preparar uma aula remota, considere os riscos para os alunos. Sempre leia comentários e críticas sobre as ferramentas de ensino que você utiliza regularmente e observe os recursos de segurança.
  • Pratique, pratique, pratique: quanto mais você praticar e testar essas novas formas de ensino, mais habilidades e facilidade você terá. Se possível, tente fazer uma aula prática com seus amigos e familiares, para receber feedbacks e sugestões.
  • Prepare-se para que a tecnologia não funcione: isso acontece até com os melhores de nós! Sempre tenha um plano de backup caso a tecnologia deixe de funcionar por algum motivo. Pode ser uma tarefa ou um projeto de lição de casa que pode ser enviado aos alunos por WhatsApp, e-mail ou por SMS, por exemplo.
  • Lidando com comportamentos difíceis: Como você sabe, as crianças têm maneiras diferentes de reagir ao estresse e alguns alunos podem interromper a aula com frequência. Para reduzir isso, tenha diretrizes e regras claras e faça com que os alunos concordem com elas. Fale com cada aluno separadamente se o comportamento deles se repetir e descubra como você pode ajudar.
  • Grupos de suporte: Você também precisa de suporte! Junte-se a uma comunidade on-line de professores (por exemplo, a British Council Teacher Community no Facebook) ou crie uma com professores de sua escola. Use este grupo para trocar ideias e recursos em sala de aula, e para oferecer apoio moral uns aos outros. Você pode até agendar regularmente "coffee breaks virtuais" e encontros.

Sobre a autora

Deepali Dharmaraj é diretora assistente de Academic English do British Council na Índia. Seu trabalho tem como enfoque a liderança educacional e o desenvolvimento de professores.

Fique por dentro

Gostou de receber essas dicas? Fique por dentro de todas as novidades de New Ways of Teaching assinando nossa newsletter.

External links