Motivadas por fatos, pelo desejo de mostrar que elas também devem ter um lugar garantido, ou pelo imenso amor por suas profissões, estas mulheres e suas histórias individuais, sobre como elas abriram caminhos no mundo da ciência, são tudo o que você precisa para fazer parte deste movimento. 

Uma mulher ousada que une Química e Natureza

Quando discuto a questão de gênero, de meninas e mulheres que se destacam na ciência, percebo que o primeiro apoio vem da família ou do ambiente em que ela está, não importa qual seja. Se estamos em um ambiente que reconheça que devemos ser estimuladas, que podemos estudar e seguir adiante, já ajuda. Consegui meu primeiro projeto de pesquisa para trabalhar na Rubiaceae do Brasil, com a Fapesp. Naquela época, ouvi muitas pessoas dizerem com desprezo: “mulher e nordestina....”. Mas, como sempre fui muito audaciosa, cada vez que me tratavam assim, eu respondia à altura. Aquilo era o que me dava forças para continuar estudando e crescendo. O que marcou a minha carreira -  um grande salto - foi a criação do programa Biota Fapesp para pesquisas em caracterização, conservação, restauração e uso sustentável da biodiversidade do estado de São Paulo. Durante uma grande reunião na Unicamp, Sonia Dietrich, uma grande cientista da área de taxonomia, me apresentou ao grupo e disse que eu tinha potencial para realizar projetos em química de produtos naturais. Depois disso, participei de três grandes projetos, com muito financiamento. Montamos um laboratório de ponta de produtos naturais. Você é uma mulher ousada? Você faz parte do Women on the Move?

Segurança delas e para elas

*Aviso de conteúdo: O trecho abaixo contém um relato de abuso sexual.

Ao ouvir a história de uma estudante que foi estuprada ao descer do ônibus, Simony César, que na época cursava Design na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), teve a ideia de que o celular poderia ser o equivalente eletrônico do canivete suíço. A partir dessa constatação, Simony viu que a tecnologia tinha grande potencial para garantir a segurança das mulheres.

Depois de muitos desafios, ela conseguiu criar Nina, uma tecnologia que rastreia, padroniza e centraliza casos e denúncias de assédio, integrados a aplicativos de transporte público que mostram, por exemplo, trajetos de ônibus. Funciona como um botão de denúncia, que gera informações sobre os relatos de abusos que acontecem na cidade A criação da ferramenta fez com que a Simony se destacasse na área de Tecnologia e Inovação em 2019, e entrasse na lista da Forbes Under 30 Brasil. Você se sentiria mais seguro se essa tecnologia também existisse em seu país?

Neutrinos, uma paixão que emociona esta mulher

Uma grande beleza nas fórmulas matemáticas e um imenso amor pelas ciências são alguns dos elementos que diariamente encantam Mayly Sánchez, uma física venezuelana que desde pequena mostrava que estava pronta para realizar grandes coisas. Seu lema é cooperar e não ter que estar sempre competindo, porque foi graças a isso que ela conseguiu gerar sinergias com seus colegas acadêmicos em favor de novas pesquisas. É o caso do estudo dos neutrinos, um tipo de partícula subatômica, realizado com sua equipe nos Estados Unidos. No projeto, Mayly e time buscam obter um feixe intenso e único a partir dos neutrinos. Mayly admite ter atração por qualquer problema científico ou matemático que surja em seu caminho. Eles a deixam empolgada e são vistos por ela como uma oportunidade para continuar encontrando mais soluções.Seu trabalho já trouxe grandes recompensas, como o Prêmio PECASE, concedido a ela pelo governo dos Estados Unidos, em 2012, e o prêmio Hispanic Engineer National Achievement Awards Corporation (HENAAC). Você também é amante das ciências? Você faz parte de Women on the Move?